Nacionalidades: sempre com minúsculas em português

Um jornal hoje trazia a notícia de que um dos suspeitos de envolvimento nos ataques terroristas a Paris na sexta-feira passada “é Francês”, e que outro suspeito “é Belga”. Nos dois casos, o jornal errou: em português, nacionalidades se escrevem com inicial minúscula, não maiúscula.

Os nomes de povos, nacionalidades, etnias e línguas são substantivos comuns – como “povo”, “etnia”, “língua” ou “croassã“. Não há por que escrevê-los, portanto, com inicial maiúscula – a menos, é claro, que haja alguma outra razão que obrigue a inicial maiúscula, como se tratar de início de frase (“Mexicanos agora podem vir ao Brasil sem visto”) ou em um título ou nome próprio (“Fomos almoçar no ‘Croassã Francês’, aquele café que abriu ao lado do restaurante japonês da esquina.”)

Em muitos casos escrevemos nomes de povos, nacionalidades e gentílicos por influência de outras línguas: em inglês, se diz, por exemplo: “He is Brazilian; she is Portuguese”.  Em português, porém, deve-se escrever sempre: “Ele é brasileiro; ela é portuguesa.”

Similarmente, em francês se dirá “Il s’agit de deux Marocains, deux Français et un Allemand” – com maiúsculas nas nacionalidades -, mas em português se deve escrever: “Trata-se de dois marroquinos, dois franceses e de um alemão.”

Até o novo Acordo Ortográfico, a ortografia de Portugal permitia o uso de iniciais maiúsculas em nomes de povos (como também o permitia em nomes de meses do ano). Na nova ortografia, substantivos comuns como esses não mais devem levar inicial maiúscula. Seguem outros exemplos de tipos de palavras que dispensam inicial maiúsculas em português:

“Os astecas, os maias e os incas tinha conhecimentos de astronomia.”

“Os árabes trouxeram muitas novas palavras para o português.”

“Em junho, vou passar duas semanas na Áustria. Um belga muito simpático que conheci em janeiro, nas férias de verão, mora numa cidadezinha austríaca e vai me receber.”

“Nem todo árabe é muçulmano; os iranianos, por exemplo, são persas; e minha namorada é muçulmana, mas não é iraniana nem persa – é indonésia.”

“Consegui minha cidadania italiana! A partir de hoje, sou europeu; sou um cidadão italiano – e um cidadão europeu… mas continuo sendo brasileiro, mineiro, belo-horizontino.”

“Meu tio é japonês, mas minha prima é argentina – ela nasceu na capital argentina, Buenos Aires. Mas o espanhol dela é péssimo, pior que o meu japonês – e eu não falo japonês…”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s