Bizonho não existe, e bisonho não significa bizarro

Sans titre

Na Folha de S.Paulo: “Propina para favorecer concorrentes seria ‘bisonho’, diz advogado“.

Muitos usam as palavras “bizonho” ou “bisonho” como sinônimos de “bizarro” (isto é, algo muito estranho).

No entanto, a palavra “bizonho” (com “z”) simplesmente não existe; e a palavra bisonho, com “s”,  não significa bizarro: a palavra bisonho significa “inexperiente”.

Quem usa “bisonho” como sinônimo de “estranho”, “excêntrico”, “esquisito” provavelmente queria simplesmente dizer “bizarro“.

Já a palavra “bisonho” só deve ser usada mesmo com o sentido de inábil, inexperiente – com uso frequente no jargão militar – como se vê na definição do Aurélio, acima, ou na do Aulete, a seguir:

bisonho (feminino: bisonha)
adjetivo:
1) inexperiente nos misteres da guerra; não aguerrido.
2) Pouco adestrado em qualquer arte, ofício ou mister, novato, inábil acanhado

substantivo masculino:
1) soldado inexperiente, recruta. 

 

7 comentários sobre “Bizonho não existe, e bisonho não significa bizarro

  1. Ué, Dicionário,

    Às vezes, uma ou outra postura sua me surpreende um pouco por certa incoerência (e não tome a crítica como ataque pessoal, por favor). É que, muitas vezes, você lembra que é o uso que faz a regra, e se certa palavra é usado há mais de cem anos em certa acepção, já tendo sido inclusive recolhida por alguns dicionários, então, ela adquiriu mesmo, de pleno direito, tal acepção.

    Ora, se o bom povo usa, e não parece que o faça pouco, bisonho nesse sentido, ao dicionário só o resta recolher como sinônimo de bizarro, marcando-o como expressão da linguagem popular.

    A incoerência está em ser ora liberal, ora conservador quanto aos usos linguísticos de registro menos formal.

    P.S.: Eu quase nunca uso gírias, sou até bastante conservador na minha fala pessoal, mas também achava que bisonho fosse sinônimo de bizarro, de tanto o ouvir usado por jovens nessa acepção.

    Curtir

    • Mas não há incoerência nenhuma – de fato entendo ser “o uso que faz a regra, e se certa palavra é usado há mais de cem anos em certa acepção, já tendo sido inclusive recolhida por alguns dicionários, então, ela adquiriu mesmo, de pleno direito, tal acepção”. O objetivo da publicação foi justamente alertar que esse não é, pelo menos ainda, o caso de bisonho – nem é a palavra usada com sentido de “bizarro” “há mais de cem anos”, nem vem com esse significado em nenhum dicionário (Aurélio, Houaiss, Michaelis, Aulete, ABL ou os europeus).

      Curtir

      • Caro,

        Cem anos foi exagero meu. Penso, na verdade, que os dicionários a devam recolher como neologismo semântico ou mesmo gíria que realmente é. O que quis dizer, mas acabei por não o fazer, foi que se devem registrar mesmo as acepções populares, regionais ou não, gírias ou não, inclusive as de baixo calão.

        Não lhe parece?

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s