Abaia: vestido árabe

Mais uma para a série “palavras que faltam em dicionários“: abaia, substantivo feminino.

O Aulete registra “abaia” como uma “espécie de gabão ou manto árabe”, e só. Aurélio é igualmente lacônico. O Houaiss e outros sequer trazem a palavra.

A abaia é uma vestimenta feminina árabe – é, mais que isso, o traje feminino tradicional, quase universal, nos países árabes do Golfo: Arábia Saudita, Dubai e os demais Emirados Árabes Unidos, Catar, Omã, etcétera. A abaia é um longo vestido negro, que se estende até os pés, e que é vestimenta obrigatória para mulheres adultas em público em alguns países muçulmanos, como a Arábia Saudita.

basic_black_abaya_front_01
A abaia é a túnica ou vestido longo, quase sempre preto, usado por mulheres muçulmanas em países árabes do Golfo. Além da abaia, que é apenas o vestido, as mulheres também cobrem a cabeça – seja apenas com um véu (cobrindo apenas o cabelo, como na foto abaixo), seja combinado com o uso do nicabe, peça que cobre todo o rosto, com exceção dos olhos. 

global-graphics-20_1130011a

É importante notar que a abaia não é o mesmo que o xador (manto negro, que se usa sobre o restante da roupa, precisando ser segurado pela usuária – em geral preto, é mais usado no Irã) nem que a burca (vestimenta completa, que cobre todo o corpo, inclusive a cabeça e o rosto; deixando apenas os olhos à mostra – ou às vezes nem os olhos, que são encobertos por um tecido rendado).

post-42007-1195918035736298-burqa

À esquerda, duas mulheres usando o xador, no Irã. À direita, três mulheres usando burcas, no Afeganistão.

A abaia também é peça de vestimenta de uso obrigatórios nos territórios atualmente dominada pelo Daexe (o autointitulado “Estado Islâmico”, havendo relatos de mãe e filha que foram condenadas por suas abaias terem sido consideradas “justas demais“.

6 comentários sobre “Abaia: vestido árabe

  1. Pingback: Cabelo “pichaim”? Não, cabelo “pixaim”, com xis | DicionarioeGramatica.com

    • Caro Jean, é verdade; estava já antes, com essa mesmíssima definição, no Dicionário de Usos do Português do Brasil (2001), que já elogiamos aqui outras vezes, e do qual o Dicionário UNESP é a versão escolar, reduzida. Mas tínhamos preferido nem mencionar o registro porque, como se vê, a definição erra feio na parte do “sem mangas”.

      Curtir

  2. Pingback: Para lá de Marraquexe – não *Marrakesh, nem *Marrakech, muito menos *Marraqueche | DicionarioeGramatica.com

  3. Pingback: Sharia: em português, xaria (e não *charia) | DicionarioeGramatica.com

  4. Pingback: Pixaim, não “pichaim”, porque a palavra vem do tupi | DicionarioeGramatica.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s