É claro que existe “foliã”, feminino de folião

Untitled.png

O português Eça de Queiroz, um dos maiores escritores da língua portuguesa,
já usava a palavra “foliã” em 1890

[Um adendo: Dois dias após esta postagem aqui no DicionarioeGramatica.com, o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa incluiu, no verbete folião: “feminino: foliona ou foliã.]

Recebemos uma dúzia de apelos desesperados motivados pela mesma dúvida: qual o feminino de folião? Ou, melhor: todo mundo sabe que o feminino de folião é foliã – palavra usada centenas de milhares de vezes todos os dias nesta época do anopor todos os brasileiros, cultos e cultíssimos, pela imprensa e por órgãos governamentais (tanto do Brasil quanto de Portugal), e até pela ONU, e por autores dos mais renomados de hoje e de séculos passados. A pergunta, porém, é: se foliã é o feminino usado, por que não aparece em certos dicionários?

Podem ficar tranquilos, caros foliões e caras foliãs. O feminino “foliã” existe, sim, e pode ser usado. O fato de não aparecer em dicionários se deve simplesmente ao fato de que os dicionários em geral só registram o masculino singular das palavras. Assim, como nos contou um leitor em um comentário dias atrás, existe gente que vai ao dicionário, encontra lá a palavra “obrigado”, mas não a palavra “obrigada”, e deduz que não existe “obrigada”.

(Sim, sabemos que há dicionários que até registram um feminino de folião – “foliona”Se fôssemos como a maioria dos gramatiqueiros por aí, diríamos, por isso, que você que nos consulta deve dizer “foliona”, como está em dicionários. Entendemos, porém, que dicionários não fazem regras, apenas refletem (ou deveriam refletir) os usos que as pessoas fazem, com base na gramática da língua. E a gramática da língua portuguesa permite que os substantivos terminados em “-ão” tenham feminino em “-ona” ou, mais comumente, em “-ã”: e, por ser regra natural da língua, é a forma usada por todos, e o fato de alguns dicionários acolherem “foliona” mas não “foliã” é um simples erro desses dicionários – o que, de novo, para nós, não é nenhuma novidade: diariamente, mostramos aqui na página que todos os dicionários (inclusive os mais famosos) contêm dúzias e dúzias de erros, todos eles. É completamente natural: por sua própria dimensão e ambição, não existe dicionário perfeito – quando se chega à letra “z”, já milhares de definições escritas na letra “a” está sempre desatualizada. Sempre foi assim e sempre será – por isso, todo linguista e estudioso consciente da língua sabe que não se pode confiar cegamente em nenhum dicionário. Por isso, achamos irresponsável dizer a alguém para seguir a recomendação dos dicionários e falar “a foliona” – quando é foliã a forma que de fato se usa, e que não viola nenhuma regra da língua.

Da Veja ou do Estadão à Globo, de textos oficiais do governo (e até da ONU) a romances e livros premiados, por todos lados se usa a palavra “foliã” (e seu plural “foliãs”). Dizer que essa palavra não existe, portanto, é um absurdo linguístico. Até mesmo em livro de português para estrangeiros se ensina que o feminino de folião, no sentido carnavalesco, é foliã (ver aqui).

Certamente haverá, porém, quem diga que, embora “se use”, a palavra foliã é uma deturpação inventada por brasileiros, um “modismo” recente de brasileiros ignorantes da sua própria língua, que deturpam a boa língua portuguesa (sempre há os que usam esse argumento, para todo tipo de caso).

Mas podem ficar tranquilos: em Portugal, em 1890 (sim, 1890 – um ano após o fim da monarquia no Brasil, apenas dois anos após o fim da escravidão!), o escritor português Eça de Queiroz escreveu, em Portugal: “estando em Roma durante o carnaval, nasceu entre ella e um sobrinho do celebre cardeal Antonelli uma inclinação de que ella confessa ter-nos feito um verdadeiro romance. A quadra foliã forneceu-lhe um fundo e episodios interessantíssimos…”  (ver aqui)

Por fim, um feliz adendo: dois dias após esta publicação, o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa incluiu, no verbete folião: “feminino: foliona ou foliã.

4 comentários sobre “É claro que existe “foliã”, feminino de folião

  1. Há quatro casos de foliona no córpus do Português, 32 ocorrências de foliona na Folha de São Paulo e 26 ocorrências de foliona no jornal O Globo.
    Não se pode afirmar que foliona só existe em dicionários, mas, sim, que, pelo menos modernamente, foliã é imensamente mais comum que foliona.

    Curtir

  2. Infelizmente errei uma questão em um concurso por causa dessas coisas ridículas da língua Portuguêsa:

    MS CONCURSOS

    Quanto ao gênero dos substantivos, assinale a frase em que a forma em destaque é atendida corretamente:

    a) Na última noite de festa, a foliã incansável amanheceu pulando o carnaval.
    b) A pessoa mais agradável durante o jantar foi, sem dúvida, a anfitrioa.
    c) Dentre as hortaliças, o alface foi o mais afetado pelo excesso de chuva.
    d) A espécime é um achado e tanto.

    Assinalei a alternativa ”A” mas no gabarito saiu a letra “B” como resposta correta. Eu tenho uma facilidade muito grande com língua portuguesa mas vou mudar para a área de exatas justamente pela falta de homogeneidade e incoerências das matérias de humanas que me irritam profundamente!

    Curtir

    • Mas deram como errada a alternativa com “foliã”? Isso é absurdo, Guilherme. Além de ser uma questão muito ruim, que não mede conhecimento (se não existisse foliã, seria uma pura pegadinha, boba), o fato é que o concurso não pode dizer que foliã não existe. A questão merece ser anulada. Qual o concurso, de quando? Passe-me os dados, que vou atrás disso.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s