Diferença, em português, entre crocodilo, jacaré, aligátor e caimão

imageA família Crocodilidae é a família dos crocodilos; outra família diferente é a Alligatoridae, cujos membros são chamados indistintamente jacarés, aligátores ou caimões.

Uma criança de dois anos foi morta ontemc na Disney, em Orlando, atacada por um réptil da espécie Alligator mississippiensis. Nas caixas de comentários das notícias sobre o caso nas imprensas brasileira e portuguesa, uma constante: a estupidez de lusófonos que, mais que com a criança, se preocupavam em “corrigir” os repórteres que haviam se referido ao animal como um “jacaré“.

Houve, de um lado, ignorantes a dizer que não podia ser um jacaré, mas sim um crocodilo, pois nos EUA o que há são crocodilos. Errados. De fato, o que mais há nos EUA são crocodilos, que são de fato répteis bastante diferentes dos jacarés, inclusive de famílias diferentes. Mas, especificamente na Flórida, há, sim, jacarés. O estado da Flórida é, aliás, o único lugar do mundo em que se podem encontrar naturalmente jacarés e crocodilos juntos.

De outro lado apareceram os “especialistas” segundo os quais o animal não era crocodilo mas também não era um jacaré, “porque jacarés são os do Brasil”, e o bicho que atacara a criança era um aligátor.

“Aligátor” nada mais é que o aportuguesamento de alligator, que é a tradução, em inglês de jacaré – do mesmo modo que os jacarés ou alligators são chamados, em espanhol, caimanes, de onde se criou ainda outro aportuguesamento, caimão.

Mas, biologicamente, jacarés, aligátores caimões são sinônimos.

Biologicamente, os crocodilos pertencem à família Crocodylidae; outra família, diferente, é a família Alligatoridae.

Essa família, a Alligatoridae, inclui oito espécies – são oito espécies de répteis chamados, em inglês, alligators; em espanhol, caimanes; e, em português, jacarés. As oito espécies são:

As seis primeiras espécies são encontradas no Brasil e também em demais países da América Latina (nesses países de língua espanhola são, em geral, chamados de caimanes). A penúltima das espécies mencionada acima é encontrada na Flórida e em outros estados dos EUA, onde é, em geral, chamado de alligator; e o último é encontrado apenas na China, onde é chamado de 學名. Da mesma forma que, em português, não chamamos o jacaré-da-china de 學名, não há por que chamarmos os jacarés dos EUA de aligátores, assim como não necessariamente chamamos um jacaré colombiano de  caimão.

5 comentários sobre “Diferença, em português, entre crocodilo, jacaré, aligátor e caimão

  1. Eu não conhecia a palavra caimão em português, só em outras línguas. É interessante que a maioria dos dicionários não se pronuncia quanto ao seu plural. O Houaiss 2009, o Aulete digital e o Priberam nada informam. Segundo esta fonte: http://www.flip.pt/FLiP-On-line/Gramatica/Morfologia-Partes-do-discurso/Numero/Plural-dos-adjectivos-e-substantivos, o plural é caimães, já esta http://www.portaldalinguaportuguesa.org/advanced.php?action=lemma&lemma=135732 diz que é caimãos. Esta http://www.dicio.com.br/caimao-2/ é mais tolerante e abriga os dois. O Córpus do Português tem apenas duas ocorrências de caimões, ambas de Portugal, e nenhuma de caimães. No Google Livros, caimões aparece 200 vezes e caimães, 206 vezes. Resultado muito acirrado. Eu prefiro caimães, mais próximo do plural espanhol caimanes, e tal plural também, por algum motivo, me soa melhor, talvez pela familiaridade com as Ilhas Cayman (ou Caimão, como nos informa, por exemplo, a Wikipédia, apelação que eu nunca ouvi).

    Curtir

    • Boa, Luciano. Mas engraçado o FLiP dizer que caimão teria plural irregular “caimães”, pois o próprio Priberam só abona caimões e não reconhece ‘caimães’. O novo Houaiss também traz apenas “caimões”, assim como o Vocabulário Ortográfico Comum da CPLP. E o VOLP da ABL, por sua vez, diz que dá o plural de todos os terminados em -ão, exceto os regulares de plural “-ões”, o que significa que também o VOLP só abona caimões. Ficaria com essa forma por tudo isso, embora concorde que a versão brasileira deveria ser “caimã”, sem o “o” (como Irão/Irã, etc.). Mas a verdade é que vejo caimão do mesmo jeito que aligátor: estrangeirismos desnecessários para o que melhor convém chamar, em português, jacaré.

      Curtir

  2. Caro,

    Uma pergunta: eu sabia que se pode dizer “chamar alguém de algo” – “não há por que chamarmos os jacarés dos EUA de aligátores” -, forma mais comum no Brasil, bem como “chamar algo a alguém” – “não há por que chamarmos aos jacarés dos EUA aligátores” -, mas não que se podia dizer “chamar a alguém de algo” – “não há porque chamarmos aos jacarés dos EUA de aligátores”.

    Na terceira possibilidade, alguém seria objeto direto preposicionado? É que me parece estranho um objeto direto preposicionado seguido de objeto indireto.

    Um abraço,
    Rodrigo.

    Curtido por 1 pessoa

  3. A Flórida não é o único lugar do mundo onde se pode encontrar jacarés e crocodilos coexistindo, esse fenômeno também é observado na região dos Los Llanos, na Venezuela, habitat tanto do Crocodilo do Orinoco quanto de espécies de caimans típicas da Amazônia.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s