Diferença, em português, entre crocodilo, jacaré, aligátor e caimão

imageA família Crocodilidae é a família dos crocodilos; outra família diferente é a Alligatoridae, cujos membros são chamados indistintamente jacarés, aligátores ou caimões.

Uma criança de dois anos foi morta na Disney, atacada por um Alligator mississippiensis. Nas caixas de comentários das notícias sobre o caso nas imprensas brasileira e portuguesa, uma constante: a estupidez de lusófonos que, mais que com a criança, se preocupavam em “corrigir” os repórteres que haviam se referido ao animal como um “jacaré“.

Houve, de um lado, ignorantes a dizer que não podia ser um jacaré, mas sim um crocodilo, pois nos EUA o que há são crocodilos. Errados. De fato, o que mais há nos EUA são crocodilos, que efetivamente são animais distintos dos jacarés, inclusive de famílias diferentes. Mas, especificamente no estado da Flórida, há, sim, jacarés. O estado da Flórida é, aliás, o único lugar do mundo em que se podem encontrar naturalmente jacarés e crocodilos no mesmo ambiente.

De outro lado apareceram os “especialistas” segundo os quais o animal não era crocodilo mas também não era um jacaré, “porque jacarés são os do Brasil”; segundo estes, o bicho que atacara a criança era um aligátor.

“Aligátor” nada mais é que o aportuguesamento de alligator, que é a tradução, em inglês de jacaré – do mesmo modo que os jacarés ou alligators são chamados, em espanhol, caimanes, de onde se criou ainda outro aportuguesamento, caimão.

As três palavras, de diferentes origens, referem-se exatamente aos mesmos animais: jacarés, aligátores caimões são sinônimos.

Biologicamente, os crocodilos pertencem à família Crocodylidae; outra família, diferente, é a família Alligatoridae, que inclui oito espécies – são portanto oito animais chamados, em inglês, alligators; em espanhol, caimanes; e, em português, jacarés. As oito espécies são:

As seis primeiras espécies são encontradas no Brasil e também em demais países da América Latina (nos países de língua espanhola são, em geral, chamados de caimanes). A penúltima das espécies mencionada acima é encontrada na Flórida e em outros estados dos EUA, onde é, em geral, chamado de alligator; e o último é encontrado apenas na China, onde é chamado de 學名.

Da mesma forma que, em português, não chamamos o jacaré-da-china de 學名, não há por que chamarmos os jacarés dos EUA de aligátores, assim como não necessariamente chamamos um jacaré colombiano de  caimão.

7 comentários sobre “Diferença, em português, entre crocodilo, jacaré, aligátor e caimão

  1. Eu não conhecia a palavra caimão em português, só em outras línguas. É interessante que a maioria dos dicionários não se pronuncia quanto ao seu plural. O Houaiss 2009, o Aulete digital e o Priberam nada informam. Segundo esta fonte: http://www.flip.pt/FLiP-On-line/Gramatica/Morfologia-Partes-do-discurso/Numero/Plural-dos-adjectivos-e-substantivos, o plural é caimães, já esta http://www.portaldalinguaportuguesa.org/advanced.php?action=lemma&lemma=135732 diz que é caimãos. Esta http://www.dicio.com.br/caimao-2/ é mais tolerante e abriga os dois. O Córpus do Português tem apenas duas ocorrências de caimões, ambas de Portugal, e nenhuma de caimães. No Google Livros, caimões aparece 200 vezes e caimães, 206 vezes. Resultado muito acirrado. Eu prefiro caimães, mais próximo do plural espanhol caimanes, e tal plural também, por algum motivo, me soa melhor, talvez pela familiaridade com as Ilhas Cayman (ou Caimão, como nos informa, por exemplo, a Wikipédia, apelação que eu nunca ouvi).

    Curtir

    • Boa, Luciano. Mas engraçado o FLiP dizer que caimão teria plural irregular “caimães”, pois o próprio Priberam só abona caimões e não reconhece ‘caimães’. O novo Houaiss também traz apenas “caimões”, assim como o Vocabulário Ortográfico Comum da CPLP. E o VOLP da ABL, por sua vez, diz que dá o plural de todos os terminados em -ão, exceto os regulares de plural “-ões”, o que significa que também o VOLP só abona caimões. Ficaria com essa forma por tudo isso, embora concorde que a versão brasileira deveria ser “caimã”, sem o “o” (como Irão/Irã, etc.). Mas a verdade é que vejo caimão do mesmo jeito que aligátor: estrangeirismos desnecessários para o que melhor convém chamar, em português, jacaré.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Caro,

    Uma pergunta: eu sabia que se pode dizer “chamar alguém de algo” – “não há por que chamarmos os jacarés dos EUA de aligátores” -, forma mais comum no Brasil, bem como “chamar algo a alguém” – “não há por que chamarmos aos jacarés dos EUA aligátores” -, mas não que se podia dizer “chamar a alguém de algo” – “não há porque chamarmos aos jacarés dos EUA de aligátores”.

    Na terceira possibilidade, alguém seria objeto direto preposicionado? É que me parece estranho um objeto direto preposicionado seguido de objeto indireto.

    Um abraço,
    Rodrigo.

    Curtido por 1 pessoa

  3. A Flórida não é o único lugar do mundo onde se pode encontrar jacarés e crocodilos coexistindo, esse fenômeno também é observado na região dos Los Llanos, na Venezuela, habitat tanto do Crocodilo do Orinoco quanto de espécies de caimans típicas da Amazônia.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s