Quórum: em português, com acento (quórum, não quorum)

A reunião foi adiada por falta de quórum – com acento. Vem da palavra em latim “quorum“, que significava “número mínimo necessário”. Em português, leva obrigatoriamente acento,  por ser paroxítona terminada em “-um”:  o quórum. É o mesmo caso de fórum, álbum, etc. Está assim, com acento, nos principais dicionários, como o Aurélio, o novo Houaiss, o Aulete e o Priberam. Eis a definição de quórum no Dicionário Aurélio:

quórum
[Do lat. quorum, ‘(o número) dos quais (é necessário)’.]
Substantivo masculino.

1. 
Número mínimo de pessoas presentes exigido por lei ou estatuto para que um órgão coletivo funcione.

O plural em português, raramente usado, é quóruns, também com acento agudo obrigatório.

 

 

Como se escreve croissant em português? Croassã (já está no Aurélio e no Vocabulário Ortográfico)

Em português, escreve-se croassã: um croassã, dois croassãs. O aportuguesamento croassã já está devidamente registrado no brasileiro Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa (Brasil); e também no Vocabulário Ortográfico Atualizado da Língua Portuguesa (Portugal). O croassã, segundo o Aurélio, é um “pãozinho de massa folhada ao qual se dá a forma de (lua) crescente”. O Vocabulário da Academia das Ciências de Lisboa, que não traz significados, identifica “croassã” como substantivo masculino e única forma aceitável em português para o aportuguesamento do francês croissant.

Croassã é o aportuguesamento de croissant (pronunciado cruassã), que em francês significa “crescente” – forma abreviada pela qual é chamada uma “lua crescente”. Isso porque, para os franceses, o formato dos croassãs lembra o de uma lua crescente – aliás, não só para eles: os argentinos, por exemplo, chamam o nosso croassã de medialuna: meia-lua.

Atualização: apenas dois dias após esta publicação aqui no DicionárioeGramática.com, o Dicionário Priberam também incluiu a palavra croassã.

O aracuã ou a aracuã (ou araquã): ave semelhante ao jacu

Essa ave de porte médio, da mesma família do jacu e facilmente encontrada em diferentes cidades do Brasil, mesmo em algumas grandes cidades, é chamada aracuã – única forma atestada no Vocabulário Ortográfico da Academia Brasileira de Letras (o VOLP), embora os dicionários também registrem a grafia araquã (além ainda de variantes como arancuã). Como ensinam o VOLP, o Aurélio e o Houaiss, o nome pode ser usado indistintamente no masculino e no feminino: o aracuã ou a aracuã (um aracuã, uma aracuã, os aracuãs, as aracuãs).

A grafia com “cu” em vez de “qu” enfatiza que, na pronúncia recomendada pela Academia Brasileira de Letras, o “u” é uma vogal plena, que faz hiato com a vogal seguinte. A palavra tem, assim, quatro sílabas: a-ra-cu-ã. Na opção escrita com “q”, o “u” deveria ser pronunciado como uma semivogal, resultando na pronúncia trissílaba a-ra-quã (como bem mostra o Priberam, que registra ambas).

O nome vem diretamente do tupi – língua que (como já explicamos na resposta sobre panapanã) já tinha (e usava muito) a vogal nasal ã, que portanto não é, como muitos pensam, uma exclusividade da língua portuguesa.

“Caneta” no futebol: o que significa “dar uma caneta” ou “passar uma caneta”?

No jargão futebolístico brasileiro, dar uma caneta (ou passar uma caneta) é o ato de passar a bola entre as pernas de um adversário.

Ausente de dicionários portugueses, essa acepção do substantivo feminino “caneta” pode ser encontrada no Houaiss (“finta em que um jogador faz a bola passar entre as pernas de um adversário”) e no Aurélio (“ato de passar a bola entre as pernas do adversário”).