Palavras e expressões de Moçambique

sponsors

Foi criada a página fixa “Português de Moçambique“, disponível na aba “publicações fixas”, que será periodicamente atualizada com palavras e expressões típicas do português falado em Moçambique. Clique aqui para ir para a página.

Entre as publicações fixas há também, recordamos, a página fixa do português de Angola, com palavras e expressões típicas do português falado nesse que já é o segundo maior país lusófono.

“Malawi” é português, sim

Untitled

Um leitor se espantou ao ver, em bons veículos de imprensa, notícias em português sobre a República do “Malawi”. A pergunta é: os nomes de países não têm de ser traduzido para o português?  E, se sim, como se deveria escrever – e pronunciar – em português o nome do Malawi? “Maláui”? “Malauí”? “Malávi”?

Em publicações anteriores, tratamos do Malawi, país africano com enorme fronteira com Moçambique. Fizemos uma análise da fonética da língua de origem do nome “Malawi”, o nianja, para explicar por que a pronúncia em português deve ser “Maláui” (e não Malauí ou Malavi ou Malaui, como às vezes se via em alguns dicionários de português).

Quanto à pronúncia, portanto, a resposta é clara: “Maláui”.

E, quanto à escrita? Também nesse caso a resposta é clara – embora vá certamente desagradar aos puristas da língua. O novo Acordo Ortográfico não podia ser mais explícito; em seu parágrafo segundo, determina:

2º) As letras k, w e y usam-se: […] Em topônimos [nomes geográficos] originários de outras línguas e em seus derivados: Kwanza; Kuwait, kuwaitiano; Malawi, malawiano.

De acordo, portanto, com o texto legal que desde janeiro de 2016 regulamenta o uso oficial da língua portuguesa, deve usar-se, em português, a forma original estrangeira Malawi, e o respectivo adjetivo/substantivo malawiano. É essa a forma que já usam bons dicionários atualizados após o Acordo Ortográfico, como o Houaiss, o Universal, o Priberam e os da Porto Editora.

“Malawi” e “malawiano” são, ademais – e mais importante – as formas usadas, desde sempre, nos países africanos de língua portuguesa, como Moçambique e Angola, que, no fim das contas, escrevem diariamente muitíssimo mais sobre o Malawi do que brasileiros e portugueses.

Essa foi mais uma das grandes mudanças trazidas pelo novo Acordo Ortográfico. No sistema ortográfico anteriormente vigente, as letras “k”, “w” e “y” não faziam parte da língua portuguesa, e recomendava-se que mesmo os derivados de topônimos estrangeiros fossem “aportuguesados”, com a substituição dessas referidas letras; por essa razão, escrevia-se no Brasil, por exemplo, taiuanêsquiribatiano – que já foram substituídas, nos dicionários atualizados após o Acordo Ortográfico, por taiwanêskiribatiano.

 

O que é caçanje? Qual o significado de caçanje ou caçanjes?

Pergunta: O texto do novo Acordo Ortográfico menciona a palavra “caçanje”, mas não a encontrei no Houaiss e nem mesmo na Wikipédia. O que afinal significa caçanje?

Resposta: Caçanje é o nome de um grupo étnico de Angola, bem como (com inicial maiúscula, “Caçanje”) o nome da localidade angolana associada ao povo caçanje. A palavra é, portanto, tanto um substantivo quanto um adjetivo (“os caçanjes”; “a nação caçanje”; etc). Também é chamada caçanje a língua crioula, baseada na língua portuguesa, falada pelos caçanjes.


Aurélio 
traz também um segundo significado de caçanje, por extensão obviamente depreciativa e politicamente incorreta do sentido original, como “português mal falado ou mal escrito”.

A palavra caçanje consta do Acordo Ortográfico de 1990 – mais especificamente da “Base III” do Acordo, que trata dos diferentes usos de letras que reproduzem o mesmo som em português: por exemplo, “ç” e “ss”; “j” e “g”; etc. Nesse caso específico, os leitores atentos do DicionárioeGramática.com.br, sabendo se tratar do nome de um povo africano, já teriam acertado que a palavra deveria ser escrita com “ç”, e não com “ss”; e com “-je”, e não com “-ge”.

Isso porque, como já explicado em respostas sobre a grafia de “tagine” e de “Hégira“, é o ç que se usa preferivelmente (e não o dígrafo ss) no interior de palavras de origem africanaárabetupi (açúcar; paçoca; Mombaça; muçulmano); e é a letra j que se usa antes de “e” ou “i” em palavras de origem africana e tupi (acarajé, jiboia, pajé), enquanto a letra é usada antes de “e” ou “i” em palavras de origem árabe (álgebra, algema, auge, gengibre, giz).

Embora não se aplique a “caçanje”, outra dica que se pode reter é a de que é a letra x, e não o dígrafo “ch“, que se usa em palavras das mesmas três origens acima mencionadas (africanas, árabes e tupis) ou ainda provenientes da língua persa: abacaxi; oxalá! (sinônimo de tomara!); xadrez; xarope; xavante; xaria; xale; almoxarife; muxoxo.

Cabelo “pichaim”? Não, cabelo “pixaim”

cabelo_pixaim1A palavra “pichaim” está errada; a palavra certa é pixaim. Cabelo pixaim quer dizer cabelo crespo. A palavra tem registro escrito na língua portuguesa desde pelo menos 1887, e vem da língua tupi, dos índios brasileiros, com o significado original de “cabeça enrugada”. E por que se escreve com x e não com ch? Porque é uma palavra de origem tupi. Como regra geral, usa-se em português a letra xis (e não ch) em palavras de origem tupi, africana, árabe ou persa.

Assim, usa-se a letra com som de ch, em palavras portuguesas de origem…

…tupi: abacaxi, guaxinimmacaxeirapixaimxamã, xará, xavante

…africana: xingarmaxixe (uma fruta e uma dança); muxoxo (o barulho feito com a língua para mostrar desaprovação, que soa tsc-tsc); xará (pessoa que tem o mesmo nome que outra); quixima (poço d’água); orixá

…árabe: almoxarifado, xadrez; oxalá; xerife; xarife; xeque; xeiquexarope

…e persa: (antigo rei da Pérsia ou Irã); xale (manto); xador (veste feminina que cobre menos que a burca).