Quem nasce em São Pedro da Aldeia é aldeense

13220733_1739297319659759_1832928783908039363_o-1

Nos comentários de hoje, um leitor da cidade de São Pedro da Aldeia, no estado do Rio de Janeiro, pergunta como se chama, afinal, quem nasce em sua cidade (ou seja, qual é o gentílico de São Pedro da Aldeia): queria saber se o certo é “aldeiense“, como trazem dicionários brasileiros, ou “aldeense“, como se usa na cidade.

O certo é aldeense. Como já vimos aqui tantas outras vezes, os dicionários brasileiros são atualmente uma péssima fonte de consulta no que concerne aos nomes de cidades brasileiras e gentílicos – em geral, desatualizados há décadas.

O que determina o gentílico a ser usado em português, para cidades do Brasil (ou de qualquer outro país de língua portugesa), só pode ser, é claro, o uso oficial. E o termo usado oficialmente pela cidade é aldeense.

Como mostra a placa comemorativa acima, o poder legislativo do município de São Pedro da Aldeia confere a ilustres visitantes o título de “cidadão aldeense”. Do mesmo modo, a prefeitura da cidade (poder executivo) só usa a forma aldeense (e não *aldeiense).

E, nesse caso, o erro dos dicionários não tem nem explicação: aldeense segue a formação etimológica dos derivados de “aldeia”, que normalmente perdem o “i” (como aldeão, aldeãaldeamento) e, por outro lado, aldeense é também a única forma aceita pelo Vocabulário Ortográfica da Academia Brasileira de Letras e pelo Vocabulário Ortográfico Comum da CPLP.

Foi justamente pela deficiência dos dicionários brasileiros hoje no que tange a gentílicos que criamos o Dicionário de gentílicos do Brasil. Todas as formas ali identificadas foram verificadas e reverificadas por nossa equipe, e são as formas oficiais pelas quais são chamados os cidadãos dos estados e municípios brasileiros.

Quem nasce em tal cidade se chama como?

porticomassaranduba

O nome que se dá ao cidadão de uma cidade é gentílico (por exemplo: quem nasce no Rio de Janeiro é carioca; logo, o gentílico da cidade do Rio de Janeiro é carioca). Não existe atualmente uma fonte atualizada e confiável que reúna os gentílicos das cidades brasileiras. Todos os bons dicionários brasileiros – Houaiss, Aurélio, Michaelis, Aulete – são repletos de lacunas e erros nessa área. A Wikipédia lusófona, nessa área (como em quase todas as outras), é pura piada (segundo a qual, com base em fonte nenhuma, os gentílicos de Massaranduba e de Pirassununga se escreveriam com “ç”). Em resumo, não existe publicação oficial confiável que mantenha esses dados atualizados.

Por essa razão, foi criada, nas publicações fixas da página, a seção de Gentílicos brasileiros, que será permanentemente atualizada, e que visa a, num futuro, reunir todos os gentílicos do Brasil – devidamente conferidos e confirmados.

A ideia é manter uma lista completa e confiável dos gentílicos oficiais atuais de cidades brasileiras, rigorosamente conferidos, um a um, quanto ao seu uso real pelos governos municipal e estadual, pela população e pelos meios de comunicação locais, bem como por sua correção e presença em obras de referência.

A lista inicial, ainda bastante incompleta, pode ser acessada aqui. Se a sua cidade não aparece nessa lista, sinta-se convidado a enviar o nome de sua cidade e o respectivo gentílico como comentário, ao fim da página.

Os gentílicos das ilhas de Cabo Verde

mindelo-on-sao-vicente-copyright-richard-webber-8553

Um leitor cabo-verdiano pergunta qual a grafia correta, em português, da denominação oficial dos cidadãos ou naturais de cada uma das ilhas da República de Cabo Verde, país africano cuja língua oficial é o português (embora quase toda a população o fale como segunda língua, não materna) e cujo território é um disperso arquipélago (conjunto de ilhas). O nome que se dá ao natural ou cidadão de uma determinada localidade é gentílico (o gentílico da cidade de São Paulo, por exemplo, é paulistano; e o do estado de São Paulo, paulista).  Em resposta, portanto, ao pedido de nosso leitor cabo-verdiano, segue a lista das nove ilhas habitadas de Cabo Verde:

Ilha Brava – bravense

Ilha do Fogo – foguense

Ilha do Maio – maiense

Ilha de Santiago – santiaguense

Ilha de Santo Antão – santantonense

Ilha de São Vicente – são-vicentino

Ilha de São Nicolau – são-nicolauense

Ilha do Sal – salense

Ilha de Boavista (ou Boa Vista) – boavistense