O certo é “statu quo”, não “status quo”

pict

A expressão latina “statu quo” vem da expressão “in statu quo“, cujo significado é “no estado em que”, ou seja, na situação em que as coisas se encontram. Na expressão original em latim, a palavra grafa-se “statu“.

Por influência da palavra “status“, porém, a expressão acabou se popularizando como “status quo” nos países de língua inglesa. Essa forma, porém, é incorreta: a Academia Brasileira de Letras, assim como os dicionaristas portugueses (e a Real Academia Espanhola e a Academia Francesa) mandam escrever statu quo, sem o “s” final.

Popularizou-se pela expressão “in statu quo ante bellum finda a guerra, as fronteiras deviam voltar exatamente ao  “estado em que as coisas estavam antes da guerra”.

Os dicionários Aulete, PriberamPorto somente registram a forma statu quo. O dicionário Houaiss traz também a popular status quo, mas remete-a para a correta statu quo, em que explica que a versão deturpada se popularizou por meio do inglês. Mesmo as demais língua neolatinas, como o espanhol e o francês, são taxativas: a forma correta é statu quo.